ENTRE EM CONTATO COM A ANTIQUEDA:

Preencha o formulário ao lado para entrar em contato com a AntiQueda.

Telefone: (13) 3226-1515

ANTIQUEDA NAS REDES SOCIAIS:

Coleção Verão 2018

BLOGAQ

Acompanhe a AntiQueda

Facebook Twiiter

Adriano de Souza, nas ondas mais conhecido como Mineirinho, foi o responsável pela comemoração brasileira em uma etapa do World Tour 2011.

Na última terça-feira (18), o atleta conquistou a sua terceira vitória na elite do surf mundial, e mostrou o porque vem sendo destacado como um dos favoritos da temporada: derrotou o deca campeão mundial Kelly Slater, na final em ondas Portuguesas (válida pela nona das onze etapas da temporada do WT.) Com o resultado, Mineirinho sobe de sexta para a terceira colocação no ranking da temporada.

Ainda na transmissão ao vivo do evento, o atleta conta ter recebido a ajuda do atleta AntiQueda, Peterson Rosa:

“Meu momento está chegando e tenho trabalhado muito forte para isto. Me diverti muito durante toda essa semana aqui em Peniche e só tenho a agradecer a Deus, à minha namorada, minha família, ao Peterson Rosa, que me ajudou bastante neste evento, e ao Pinga, meu manager, que me acolheu desde pequeno. Gostaria de dizer que o Kelly sempre foi o meu ídolo e que tenho muito respeito por ele. Para mim ele já é 11 vezes campeão mundial!

Kelly Slater também levou o prêmio pelo melhor tubo surfado durante todo o evento.

Agora com a etapa européia encerrada, a janela de espera aberta para a tradicional etapa “The Search“, realizada em algum lugar de San Francisco, nos Estados Unidos, é entre os dias 1 e 12 de novembro.

Confira abaixo o resultado do WT Portugal:

Final:

1 – Adriano de Souza [BRA]: 15.67
2 – Kelly Slater [USA]: 14.73

Semifinais:

SF 1: Kelly Slater [USA]: 19.50 def. Taj Burrow [AUS]: 16.87
SF 2: Adriano de Souza [BRA]: 13.83 def. Bede Durbidge [AUS]: 12.03

Quartas de final:

QF 1: Taj Burrow [AUS]: 17.94 def. Julian Wilson [AUS]: 17.50
QF 2: Kelly Slater [USA]: 18.70 def. Heitor Alves [BRA]: 7.67
QF 3: Adriano de Souza [BRA]: 17.60 def. Michel Bourez [PYF]: 17.53
QF 4: Bede Durbidge [AUS]: 17.10 def. Joel Parkinson [AUS]: 16.60

Baterias que estavam pendentes para o encerramento do Round 4:

1: Julian Wilson [AUS]: 6.83 def. Chris Davidson [AUS]: 3.50
2: Heitor Alves [BRA]: 15.40 def. Damien Hobgood [USA]: 13.74
3: Michel Bourez [PYF]: 18.93 def. Fredrick Patacchia [HAW]: 17.96
4: Bede Durbidge [AUS]: 17.44 def. John John Florence [HAW]: 17.06

Round 4:

1: Taj Burrow [AUS]: 17.13, Julian Wilson [AUS]: 15.70, Damien Hobgood [USA]: 14.10
2: Kelly Slater [USA]: 19.30, Heitor Alves [BRA]: 17.20, Chris Davidson [AUS]: 13.40
3: Adriano de Souza [BRA]: 15.30, Fredrick Patacchia [HAW]: 14.64, Bede Durbidge [AUS]: 11.67
4: Joel Parkinson [AUS]: 18.00, John John Florence [HAW]: 17.84, Michel Bourez [PYF]:16.10

Round 3:

Heat 9: Adriano de Souza [BRA]: 11.60 def. Travis Logie [ZAF]: 8.10
Heat 10: Joel Parkinson [AUS]: 13.56 def. Dusty Payne [HAW]: 12.30
Heat 11: Michel Bourez [PYF]: 16.27 def. Matt Wilkinson [AUS]: 14.54
Heat 12: John John Florence [HAW]: 17.33 def. Owen Wright [AUS]: 16.96

Top 5 do ASP World Tour 2011:

Depois da etapa de Portugal

1. Kelly Slater [USA]: 58,150 pts
2. Owen Wright [AUS]: 45,650 pts
3. Adriano de Souza [BRA]: 42,450 pts
4. Joel Parkinson [AUS]: 41,100 pts
5. Taj Burrow [AUS]: 40,950 pts

Postado por Equipe AntiQueda em Blog

O surfista Peterson Rosa assinou um novo patrocínio para este ano. O atleta é o único tricampeão brasileiro profissional e a aposta da nova empresa é que Peterson conquiste o tetra, e estabeleça uma nova marca. O ´Surf na Internet´ conversou com o surfista que falou sobre a carreira e os próximos objetivos.

Você também vai conferir duas confraternizações que aconteceram no último dia 31. As meninas da Rip Curl Girl Tour, que você conheceu na surf trip para o litoral norte (programa do dia 04/11), e os surfistas do Pioneiros Surf Club do Litoral Paulista entraram no mar para agradecer o ano que passou e brindar 2010.

Os internautas que quiserem entrar em contato com a nossa equipe podem enviar um e-mail para surfnainternet@tvtribuna.com. Caso você tenha perdido alguma edição do nosso programa, basta acessar o nosso arquivo, já que todas as edições ficam disponíveis no nosso site.

Clique aqui para assistir o video no site da TV Tribuna

Postado por Equipe AntiQueda em Blog

Ano novo, patrocínio novo. O tricampeão brasileiro e um dos maiores nomes da história do surf nacional, Peterson Rosa, é o novo reforço da equipe AntiQueda. O patrocínio foi acertado entre o atleta e a diretoria da marca, que este ano completa 21 anos de mercado e também patrocina a tetracampeã brasileira (e atual vice do Super Surf), Andréa Lopes, e o talento da nova geração, Thiago Guimarães.

Com o novo ?fôlego? na carreira, Peterson tem como foco principal a conquista do inédito tetracampeonato masculino. ?É uma nova fase na minha vida, correndo só o Circuito Brasileiro, com uma marca brasileira e crescendo junto com ela, na busca do sonhado tetra. Agora, com a AntiQueda, tenho sangue novo, energia nova, tudo para alcançarmos os objetivos?, afirma o único tricampeão brasileiro, com títulos festejados em 1994, 99 e 2000.

Para o diretor de marketing da AntiQueda, Paulo Sérgio Nogueira Lopes, o Paulinho, a contratação de Peterson é a ratificação do crescimento da empresa. ?O Peterson é um ídolo nacional, um nome conhecido em todo o Brasil e no exterior e representa muito para a nossa marca, é um símbolo do nosso fortalecimento?, destaca.

?Junto com a Andréa Lopes, temos agora dois ícones do surf nacional. Isso confirma o quanto a AntiQueda investe na modalidade e quer que o esporte se fortaleça. Vivemos do surf e temos de dar retorno. Nada melhor do que acreditando num surfista que faz parte da história?, complementa Paulinho.
Aos 35 anos de idade, Peterson mostra total animação com o novo patrocínio, em vigor a partir de janeiro de 2010,e tem outros planos. ?O foco é trazer o tetra e quero me dedicar ao máximo para a AntiQueda crescer muito no Brasil. Também vou correr as etapas do WQS no Brasil e continuar fazendo o nome no surf e prolongando essa história do Peterson Rosa cada vez mais, se possível até os 40 anos de idade?, revela o surfista, deixando claro o futuro.

?Podem esperar mais cinco anos do Peterson Rosa incomodando a nova geração, com aquela garra, energia que tem, que consegue envolver não só os juízes, como a galera na praia e todo o público surfwear no Brasil e no Mundo?, enfatiza o atleta, que sabe muito bem como enfrentar e superar os novos valores. ?Primeiro, precisa ter muito apoio, do patrocinador e da família e amigos. Muito treino e ter de usar toda a experiência, muita tática de competição, porque não sou mais nenhum garotão?, frisa.

TRANQUILIDADE – Além disso, a tranquilidade, quem diria, é a principal ?arma?, além do surf de qualidade. ?São 20 anos de competição e hoje tenho a calma para esperar uma onda, solucionar os problemas. Antes, resolvia na loucura e acabava fazendo as coisas erradas. Hoje em dia, penso muito mais para agir, antigamente agia antes de pensar?, argumenta o competidor, que tem o apelido de Bronco e ?The Animal?.
Nascido no Guarujá, cidade vizinha a Santos, onde a AntiQueda tem a sua sede, Peterson vê mais essa identidade com a marca. ?Mas o legal de tudo é uma empresa brasileira. Isso me anima muito para o resto do ano, para o resto da minha carreira. Vou batalhar muito por esse tetra, para dar de presente à empresa que está acreditando em mim?, comenta. ?A AntiQueda foi uma das primeiras que decidi procurar, pelo trabalho que vem fazendo em seu marketing. Meu objetivo foi procurar uma empresa que investisse no surf?, explica.

Em 20 anos de carreira, Peterson Rosa teve grandes momentos. Foram 15 anos no WCT, a elite mundial, de 1992 a 2006, com a melhor colocação o 7º lugar no ranking em 2001. Sua principal conquista foi a vitória no Rio Marathon Surf Pro, etapa do Circuito Mundial, no Rio de Janeiro, em 1998.

?Sou o único brasileiro a ganhar etapa do WCT masculino aqui no Brasil. Lógico que tive resultados fora do Brasil, o vice no WQS, mas essa vitória e o inédito tricampeonato brasileiro foram as melhores?, conta Peterson, com nove vitórias no WQS e o segundo lugar no ranking em 1999.

O surfista chega à AntiQueda após um ?casamento? de 10 anos com a MCD. ?Saio muito bem com a marca. Eles estão procurando outro foco, o fashion, não muito a ver com o surf e estão me apoiando em tudo. Sentei com os diretores, o Roberto, o Fernando, o Rudney, e chegamos à decisão que seria melhor essa mudança. Foi sensacional enquanto estive lá, mas agora vou vestir a camisa da AntiQueda e dar o sangue total para essa nova fase?, conclui.

JOGO RÁPIDO COM PETERSON ROSA
Nascimento ? 19/09/1974, em Guarujá
Apelidos ? Bronco, The Animal (no exterior)
Ídolo ? Fábio Gouveia
Ídolo na vida ? Minha mãe
Comida ? Feijão, arroz e batata frita
Bebida ? Saquê
Se não fosse surfista, seria ? jogador de futebol. Adoro futebol.
Outro esporte ? gosto de ação, vôo livre, futevôlei na praia, frescobol, adoro automobilismo, F1
Diversão ? pegar onda
Filme ? de ação
Quando não está surfando ? estou cuidando da minha casa, da minha mulher, do meu jardim, focando nos campeonatos, nas coisas boas. É preciso plantar coisas boas para colher resultados bons
Melhor onda ? Matinhos (Paraná), G-Land (Indonésia) e Snnaper Rocks e Kirra (Austrália)
Manobra preferida ? Tubo
Aposentadoria ? Viver dos meus negócios que construí, trabalhar minha imagem, dando palestras, se possível atuar na própria empresa onde estou, com a nova geração;
Peterson Rosa por Peterson Rosa ? É um cara que tem uma agressividade muito forte, aparente, mas que quando se conhece, tem um coração muito grande, capaz de tirar a própria roupa que veste para ajudar o próximo.
Peterson Rosa em uma palavra ? Animal

Marca tem 2 décadas de história

Com 20 anos no mercado, a surfwear AntiQueda tem sede em Santos e hoje está consolidada em todo o País, em mais de 600 pontos de venda, contando com mais de 300 itens em cada coleção, nas linhas masculina, feminina e infanto-juvenil. Além da equipe de atletas, com Andréa Lopes, Thiago Guimarães e agora Peterson Rosa, a marca investe no surf, com o patrocínio ao Circuito A Tribuna de Surf Colegial, o mais tradicional do gênero, desde o seu início em 1996.